Texto de Lya Luft


Amor não deveria ser prisão ou dever, mas crescimento e libertação. Porem, se gostamos de alguma coisa ou de alguém, queremos que esteja sempre connosco. Perda e separação significam sofrimento, mas não o fim da vida e nem o fim de todos os afectos.Certa vez entregaram-me um bilhete que dizia:«Se tu amas alguém, deixa-o livre.»(...)O que mais identifica um par é o clima que circula entre ambos alem de palavras e gestos.A palavra «liberdade» devia de ser a mais presente, porem é a mais convidada a afastar-se discretamente e permitir que em seu lugar assuma um comando a alguma subalterna: tolerância, resignação, doação adaptação. Rodando o fosso do castelo, a vilã de todas: a culpa. Quem deixou sobre a minha mesa um bilhete dizendo «se tu amas alguém, deixa-o livre» sabia das coisas, portanto sabia também o desafio que me lançava. No mundo das palavras há tantos artificios quantas são as nossas contradições.Por isso, conviver é tramar (...),largar , ter, perder e nunca definitivamente entender o que - se fossemos um pouco sábios - deveríamos fazer."


Lya Luft, Pensar é Transgredir


Beijinhosssssssssss

0 comentários: