PAI EXEMPLO


Ser pai é apenas ter filhos: um, dois, quatro ou mais? Não. Ser pai é muito mais. É uma arte feita de pequenos atos de heroísmo.

Ser pai é olhar para o pátio, com a cabeça recostada no batente da porta, e sorrir feliz com o jogo de “amarelinha” que as crianças disputam na calçada.

Ser pai é descer ao nível dos filhos e brincar com eles como criança, virar bicho, cabra-cega, cavalinho, galinha-d’angola e até jacaré que se arrasta.

Ser pai é passar a mão pelos cabelos da criança, dizendo-lhe uma frase de carinho sugerida pela emoção do momento.

Ser pai é abraçar, apertado, o filho na saída de casa e, depois, na chegada.

Ser pai é comprar um chocolate e trazê-lo de surpresa para os filhos que o esperam.

Ser pai é pedir ao filho que abra a boca para mostrar os dentinhos, e depois descobrir que precisam de retoques num dentista.

Ser pai é olhar para o termômetro às três da manhã, e sair com o filho nos braços em direção ao médico de confiança.

Ser pai é verificar as tarefas, e acompanhar a vida escolar dos filhos em reuniões pedagógicas.

Ser pai é renunciar na mesa de refeição, diante da televisão e mesmo momentos de diversão.

Ser pai é trabalhar com seriedade para que não falte nada em casa.

Ser pai é, às vezes, calar quando se tem o impulso de gritar.

Ser pai é conversar, quando as preocupações e o cansaço empurram para a acomodação num cantinho de silêncio.

Ser pai é sorrir, quando se tem vontade de chorar.

Ser pai é ouvir, quando a vontade é de falar.

Ser pai é desligar-se da televisão, quando os filhos têm algo a dizer.

Ser pai é observar as reações das crianças no dia-a-dia do seu crescimento.

Ser pai é ensinar a criança a admitir as próprias limitações e estimular sua boas tendências.

Ser pai é ensinar o respeito a todos os seres humanos, sem distinção de cor, raça, posição social, política ou religiosa.

Ser pai é valorizar a liberdade, e apresenta-la aos filhos como alimento do espírito.

Ser pai é estabelecer regras sem se deixar levar pela prepotência.

Ser pai é manter a dignidade diante da própria consciência para que os filhos compreendam a importância dos princípios morais.

Ser pai é inclinar a própria cabeça diante do sobrenatural, e conviver com os bens de consumo na sua dimensão de transitoriedade.

Ser pai, por fim, é muito mais uma questão de exemplo que de conversa.


(Anônimo)
do site piriqui.blogspot.com

0 comentários: